J’ai retourné

Fiquei 3 meses afastada das aulas de Francês (por motivos pessoais). Mas….agora, tenho novidades! 😉

Nesta semana comecei a ensinar Português para um francês que está há poucos dias no Brasil. Está sendo uma experiência maravilhosa. Sem querer estou treinando o meu Francês também e, às vezes, nem acredito que em janeiro ainda vai completar 3 anos que comecei a estudar esse idioma. Já faz parte da minha vida e parece que sei falar desde criança.

Enfim, agora estou com esse desafio de conseguir explicar os primeiros conceitos e expressões do Português para ele. Pedi ajuda aos meus amigos da época de faculdade de Letras (na Ufam) para poder ler um material voltado pra isso. Agora estou estudando demais!

Como eu disse uma vez, o Blog Paris Para Todos é o meu diário de como aprendi a falar Francês e de dicas de Paris. Nunca imaginei que em tão pouco tempo eu iria escrever aqui que começaria a ensinar Português a um parisiense.

C’est la vie. C’est ma vie 😉

Níveis da língua francesa

Hoje – na aula de Francês – minha professora citou que há alguns níveis de linguagem. Fui pesquisar e encontrei esta classificação:

  • La langue familière: — Langue courante de tous les jours

  • La langue populaire — C’est une langue simplifiée qui dispose d’un vocabulaire limité (1500 à 3000 mots) et d’une syntaxe restreinte. Les nuances d’expression sont ainsi réduites au minimum et le peu de structures syntaxiques et morphologiques rend parfois les énoncés fautifs.

  • L’argot — A l’origine une langue spécialisée utilisée par un segment anti-social de la société (‘milieu’). Par extension, on appelle ainsi une langue très altérée, à structures non grammaticales et disposant d’un vocabulaire particulier.

  • Le jargon: — Souvent confondu avec l’argot. En fait, il s’agit de la langue particulière d’une classe professionnelle ou sociale: le jargon des médecins, des avocats, etc.

Estes tipos de linguagens “identificam” o grupo social a qual a pessoa pertence. A pesquisa foi feita no site do Colloquim Urbanités Littéraires.

Ça marche? 😉

Paris que inspira!

Salut! Nesta semana completou 5 meses que eu fui à Paris. Nem acredito que viajei (sozinha) com tão pouco tempo de curso de Francês.  Foi tanto aprendizado que, hoje, eu estou no fim do Básico III ( do curso de Francês), mas tenho a sensação de que já faz muito tempo!

Este post é para refletir também sobre os erros que cometi na viagem. Erros gramaticais para ser mais específica. 🙂

Hoje já estudamos o “Passé Recent”, “Passé Composé”, MUITAS expressões e também fizemos boa produção de texto. Na época em que eu cheguei em Paris só sabia um pouco do “Passé Composé” e olhe lá! Nem quero pensar nos erros gramaticais que os franceses devem ter percebido! rs

O objetivo não é desanimar quem vai conhecer Paris com pouco tempo de curso de Francês. Voltei de lá com a audição mais aguçada. Hoje, eu posso até esquecer alguma letra quando escrevo em Francês, mas a pronúncia eu reconheço de primeira! Isso só a vivência na França que vai proporcionar! 🙂

Paris_dica_Francês

Já voltei a analisar sites de viagens e intercâmbio, pois pretendo voltar em breve. O Blog “Paris Para Todos” vai continuar sendo o diário de bordo.

Étudie et ne arretez pas! Toujours répéter expressions pour memorize 😉

On y va!

Inglês X Francês

Um dos motivos pelos quais eu escolhi estudar francês foi por ter ouvido tantos comentários de que franceses não gostam de ouvir solicitações em inglês. Na verdade eu já ouvi de tudo um pouco. De algumas pessoas eu ouvi que não tiveram problemas em se comunicar em inglês em Paris. Entretanto de outros eu ouvi que há má vontade por parte dos atendentes.

Crédito da foto: @parisdespetits

Crédito da foto: @parisdespetits

Fascinou-me entender o cuidado que eles têm com o idioma. É praticamente uma poesia se apresentar para alguém:

– Bonjour, mademoiselle! Vous vous appelez comment?  

– Bonjour, monsieur! Je m´appelle Ana et vous? Comment allez-vous?

Espero conseguir entender outros diálogos, já que estou me esforçando para entender a fonética do idioma há quase 4 meses. Será com certeza um desafio, encaro até como um “mini intercâmbio” conseguir entender e conversar com outras pessoas na França depois de apenas 4 meses intensos de estudo (!).

Além de fazer as lições do meu curso regular de francês, eu também escuto diariamente a Radio France Internacional. Ela tem sido minha segunda escola, pois ouvir as notícias no ritmo diferente do que meu professor fala na sala de aula ajuda demais!

E você tem alguma dica para quem está estudando francês? Já foi à França e conseguiu sobreviver falando apenas inglês? 🙂